quarta-feira, 28 de abril de 2010

MAIS CHAMIÇOS


Um site sobre Moçambique, refere que o Francisco de Oliveira Chamiço era maçónico e que era cunhado do também maçónico Joaquim José Machado.
Mas Joaquim José Machado foi casado com Mariana Cardoso de Melo e o Francisco Chamiço foi casado com Claudina Freitas Guimarães.
Pelos nomes das respectivas mulheres, não sei qual delas é irmã de qual deles. Mas isto dos nomes, às vezes não é o que parece.

Sanatório Santana da Parede

Seja como for, e a propósito de mulheres, a D. Claudina, mulher do Francisco Chamiço está ligada ao Sanatório de Sant'Ana, actualmente, Hospital de Sant'Ana na Parede.
Nos fins do século XIX existiu na Europa um grande movimento de combate contra a tuberculose e em todos os países civilizados começaram a surgir “Sanatórios”.
O Dr. Sousa Martins foi um dos iniciadores da luta contra esse mal. A D. Claudina Chamiço deu-lhe todo o apoio para que se construísse o Sanatório de Sant’Anna, e ela própria o inaugurou no dia 31 de Julho de 1904 e o legou à Misericórdia.
Há uma Rua Claudina Chamiço em Caldas da Rainha.

O Joaquim José Machado tem um largo em Lisboa, na freguesia de S. Domingos de Benfica.
General Joaquim José Machado

É considerado um dos nomes mais emblemáticos da presença portuguesa em Moçambique.
Foi governador da Índia e Governador-Geral de Moçambique por três vezes: 1889-1891, 1900, 1914-1915. Chegou a Moçambique em 7 de Março de 1877. Organizou e instalou os Serviços de Obras Públicas. Foi a Joaquim José Machado e aos serviços que chefiou que se ficaram a dever algumas das obras mais espectaculares que ainda hoje se observam em Moçambique. As primeiras das quais serão os Caminhos de Ferro e o traçado da cidade de Lourenço Marques. Foi Joaquim José Machado quem elaborou o projecto de ligação ferroviária entre Lourenço Marques e Pretória e quem dirigiu a sua construção.

O Joaquim José Machado é pai de Álvaro Cardoso de Melo Machado, fundador do escotismo em Portugal e chefe do governo de Moçambique, quando o seu pai era governador da província, entre Abril de 1914 e Maio de 1915.

O Álvaro Cardoso de Melo Machado foi governador interino de Macau (onde tem uma rua com o seu nome) entre 17 de Dezembro de 1910 (com apenas 27 anos) até 14 de Julho de 1912. Foi também administrador-delegado, por parte do Estado, do caminho de ferro de Benguela.

Sem comentários:

Enviar um comentário